1 de jun de 2011

PRIMEIROS SOCORROS.

 HEMORRAGIA

O que é: Perda de sangue excessiva devido ao rompimento de um vaso sanguíneo, veia ou artéria.
Gravidade: A hemorragia abundante e não controlada pode causar a morte de três a cinco minutos. Não perca tempo.
O que fazer: Fazer pressão diretamente sobre a ferida para estancar a hemorragia com compressa de gaze, pano ou lenço limpo. Em caso de pernas e braços amputados, esmagados ou dilacerados são utilizados os torniquetes.
Como fazer um torniquete: Escolha panos largos e resistentes. Em seguida, enrole o pano em volta da parte superior do membro afetado, logo acima do ferimento dando meio-nó. Utilize um pedaço de madeira sobre o meio-nó e complete o nó. Depois torça o pedaço de madeira até que a hemorragia esteja controlada. Marque em qualquer lugar mais visível na vítima com algum tipo de tinta as iniciais TQ (torniquete) e a hora. E não esqueça de não cobrir o torniquete. A cada dez ou 15 minutos desaperte o torniquete. Não retire o torniquete, pode ser preciso reapertá-lo.

 

HEMORRAGIA INTERNA

Observe os sinais Pulso fraco, pele fria, suores abundantes, palidez intensa e mucosas descoradas, sede, tonturas, as vezes, inconsciência.
O que fazer: Manter o paciente deitado e aplicar compressas frias na possível região atingida. Depois siga os procedimentos de estado de choque.

HEMORRAGIA NASAL (Epistaxe)

Observe os sinais: Tosse com golfadas de sangue vermelho
rutilante.
O que fazer: Posicionar a cabeça para traz e comprimir a narina sangrante durante cinco minutos e soltar levemente. Se a hemorragia não cessar, use um tampão de gaze por dentro da narina e coloque um pano frio qualquer sobre o nariz.

 

HEMORRAGIA DOS PULMÕES (Hemoptise)

O que fazer: Deitar a vítima em posição lateral, fazer compressas frias, e se possível, aguardar a chegada do socorro médico. Evite que ele converse. Mantenha-o calmo.

HEMORRAGIA DO ESTÔMAGO (Hematêmese)

Observe os sinais Enjôo (náusea) dor, vômitos, com sangue escuro (borra de café)
O que fazer: Colocar a vítima sentada ou deitada com a cabeça elevada. Aplicar compressas frias (Gelo) sobre o epigástrico e aguardar socorro médico.

 

PARADA DO CORAÇÃO


Observe os sinais: Ausência de pulso e dos batimentos cardíacos, além de acentuada palidez. Se detectado algum desses sinais a ação deve ser imediata e não será possível esperar o médico para iniciar o atendimento.
O que fazer Aplique a massagem cardíaca externa.
Como fazer a massagem cardíaca Colocar a vítima deitada de costas em superfície plana e dura. As mãos do atendente de emergência devem sobrepor a metade inferior do esterno. Os dedos ficam abertos sem tocar o tórax. A partir daí deve-se pressionar vigorosamente, abaixando o esterno e comprimindo o coração de encontro a coluna vertebral. Em seguida, descomprima. Repetições: quantas forem necessárias até a recuperação dos batimentos. É recomendável a média de 60 compressões por minuto.
Cuidados: Em jovens a pressão deve ser feita com apenas uma das mãos e em crianças com os dedos. Essa medida evita fraturas ósseas no esterno e costelas. Se houver parada respiratória juntamente com a cardíaca ambas devem ser realizadas, reciprocamente.
O que pode causar: Ataque cardíaco Choque elétrico Estrangulamento Sufocação Reações alérgicas graves Afogamento


QUEIMADURAS


O que são: Toda e qualquer lesão decorrente da ação do calor sobre o organismo é uma queimadura.
Gravidade: Uma pessoa com 25% do corpo queimado está sujeita a "choque de queimadura" e pode morrer se não receber imediatamente os primeiros socorros.
O que pode causar: Corpo em contato com: chama, brasa ou fogo, vapores quentes, líquidos ferventes, sólidos super-aquecidos ou incandescentes, substâncias químicas, emanações radioativas, radiações infra-vermelhas e ultra-violetas e eletricidade.
Classificação das queimaduras: 1º Grau – lesões das camadas superficiais da pele. Ex: raios solares. 2º Grau - formação de bolhas na área atingida 3º Grau - atinge tecidos mais profundos até o osso.
Gravidade: O risco de vida está na extensão da superfície atingida devido ao estado de choque e contaminação da área (infecção bacteriana).
O que fazer: Prevenir o estado de choque. Controlar a dor e evitar contaminação.

 
PEQUENAS QUEIMADURAS - atingem menos de 10% do corpo. GRANDES QUEIMADURAS – atingem mais de 10% do corpo.
Cuidados: Não fure as bolhas, evite tocar a área queimada.
QUEIMADURAS QUÍMICAS (Ácidos - soda cáustica, outros produtos químicos).
O que fazer: Pequenas - Lavar o local com água corrente. Extensas - Retirar toda a roupa atingida e lavar abundantemente com água a região.
Cuidados: Não aplique ungüentos, graxas, bicarbonato de sódio ou outras substâncias em queimaduras. Não retire corpos estranhos ou graxas das lesões. Não fure as bolhas existentes, nem toque com as mãos a área afetada.
QUEIMADURA NOS OLHOS
O que pode causar: Contato dos olhos com substâncias irritantes, como ácidos, álcalis, água quente, vapor, cinzas quentes, pó explosivo, metal fundido e chama direta.
O que fazer: Lavar os olhos com soro fisiológico. Venda-los com gaze umedecida e levar ao médico com urgência.






Nenhum comentário: