24 de ago de 2011


Entendendo o Fogo
  O fogo é conhecido desde a pré-história e desde aquele tempo tem trazido inúmeros benefícios ao homem, ele nos aquece e serve para preparar alimentos, mas o fogo quando foge ao controle do homem recebe o nome de Incêndio, e causa inúmeros danos para as pessoas, o incêndio exige pessoal e material especializado para extingui-los, por isso simultaneamente com as primeiras medidas de combate e salvamento chame os bombeiros com rapidez, ensine as crianças como salvarem-se no caso de incêndio em sua residência. Os grandes incêndios ocorrem quando um fogo atinge uma elevada intensidade, passando a sua propagação a depender de diversos e complexos factores. Em determinadas condições são praticamente incontroláveis pelo Homem. O aumento de intensidade da linha de fogo pode fazer um fogo estacionário (fogo de intensidade intermédia, sendo já autosustentado, com forma elíptica ao crescer ao “sabor” do vento ou das encostas) transitar para um regime de grande incêndio, onde novos mecanismos de propagação ganham predominância. Esta transição pode ocorrer uma ou várias vezes durante a história de um fogo. Numa situação de alta intensidade da linha de fogo, o grande incêndio é praticamente incontrolável com os meios humanos disponíveis. Nesta fase, apenas significativas alterações no ambiente de fogo (nos combustíveis e sobretudo meteorológicas) poderão alterar tal comportamento do fogo, de forma a poder ser controlado. O fogo só pode ser combatido de forma eficaz se este regressar à fase estacionária. Os grandes incêndios dividem-se em duas grandes classes, que dependem das propriedades dinâmicas mais importantes do fogo, nomeadamente, da velocidade de propagação e da taxa de libertação de calor por unidade de área (Intensidade). O gráfico de Rothermel (1983), relaciona estas duas variáveis, produzindo a conhecida Curva de Características do Fogo (Fig.1). As duas variáveis estão inversamente relacionadas e, desta forma, os grandes incêndios tendem a ser ou muito velozes ou muito intensos, apesar de na maioria dos casos ocorrerem numa situação de transição. Os grandes incêndios com velocidades de propagação muito rápidas pertencem à classe Incêndios de Progressão Rápida, e por oposição, os fogos com elevada intensidade de reacção pertencem à classe de Fogos Massivos. Pode-se verificar que, à medida que a Intensidade da Linha de Fogo (a não confundir com a taxa de libertação de calor por unidade de área) aumenta, vai-se esbatendo a distinção entre as duas classes.

Nenhum comentário: