20 de jun de 2011

NÓS E AMARRAÇÕES

    
Nó Direito
Para emendar ataduras e emendar cabos com o mesmo diâmetro.
Nó de Azelha
É usado para suspender prumo, formar uma alça ou asa, ou destinado a pendurar um cabo. É dado na ponta de um cabo; não poderá receber esforço; pois será difícil de desfazer. Outras vezes é feito em ponto poído do cabo para substituir o catau.
Balso Pelo Seio
É o nó dado em cabos dobrados, de modo que fiquem duas alças firmes, usado em casos de salvamento, ficando as pontas do cabo livres para o trabalho de descer e guiar o paciente.
  Cadeira de Bombeiro
É o nó feito com duas alças amplas, uma para atuar sob os braços e a outra por trás dos joelhos, ficando as pontas do cabo livres para os casos de salvamento, sobretudo de certa altura, em casos de incêndio. O nó é reforçado por dois cotes laterais, para firmá-lo bem. 
Catau 
Para encurtar ou esticar um cabo frouxo.
Nó de Correr
Feito com uma alça para apertar sempre que puxar.
Nó Direito Alceado
É o nó que quando precisa ser solto, e é feito deixando-se uma alça em um dos chicotes bastando, então puxar uma das extremidades para que ele se disfaça.
Enfardador
Nó utilizado para esticar um cabo. Prende um cabo a um estai (Ribeira) e em seguida, no outro estai, faz-se um S na corda colocando a ponta do S virado para o lado onde foi feito a Ribeira, fazendo-o um cote, do outro lado, ficará com um alça. Pegue a ponta da corda e de uma volta sobre a árvore, esticando-a e volte pela árvore dando no cabo vários cotes.
Escota
 Escota Alceado
Para emendar cabos de diâmetros igual ou desigual, ou para prender o cabo numa argola. O alceado 's para prender a bandeira
Nó de Fateixa
É o nó que se faz para firmar um cabo em uma barra, num anél, para amarrações firmes, ou para prender a fateixa, que é âncora pequena como argola. O nó consiste em uma volta redonda com cotes, passando o primeiro por uma volta, para não apertar.
Volta da Fiel
Para amarrar o cabo à vara de madeira nos trabalhos de Pioneiria.
Volta da Fiel Duplo
É usada em lugar da simples volta de fiel e para amarrar cabos de retenção e espias.
Forca
Arme a laçada conforme o esquema, deixando a ponta de trabalho com tamanho suficiente para executar as voltas. Realize finalmente e, ao fazer a última volta, introduza a ponta de trabalho na laçada superior do nó. Em seguida puxe a laçada inferior pelo lado correspondente à ponta de trabalho para apertá-la e conservar as voltas seguras. O laço é regulado movimentando-se o lado da corda correspondente à sua parte fixa.
Nó de Frade
Nó utilizado para criar um tensor na corda, servindo para parar um roldonha, ou como escada ou até mesmo em transmissão de morse.
Lais de Guia
Formar uma laçada que não corre. É usado para salvamento.
Nó Moringa
Nó especial para amarrar nos gargalos de garrafas ou jarros, de grande utilidade. É seguro e resistente.
Nó Oito
Este nó é mais volumoso que o nó superior comum e muito mais fácil de ser desfeito, quando não for apertado demasiadamentre. É usado comumente sempre que queira criar uma protuberância numa corda, servindo erfeitamente quando se fizer necessária a fixação de uma corda em seu encaixe. Neste caso, o nó poderá ser empregado se nãoi houver uma estaca ou outro local onde se amarra a corda.
Nó de Pescador
Para emendar duas linhas molhadas ou escorregadias.
Volta da Ribeira
Para amarrar o chicote de um cabo a uma vara de madeira ou a um tronco.
Volta do Salteador
Nó utilizado para descer de um tronco com um dos cabos e desamarrar o nó com a outra ponta do cabo.
Volta Redonda com dois Cotes
Este nó é bem útil. Serve para amarrar um cabo a um mastro ou verga e também a uma argola ou arganéu apertando-o. O importante é fazer o cabo dar duas voltas em torno do mastro para segurar bem apertado.
bem apertado.

Amarra Quadrada

É usada para unir dois troncos ou varas mais ou menos em ângulo reto. O cabo deve medir aproximadamente setenta vezes o diâmetro da peça mais grossa. Começa-se com uma Volta de Fiel bem firme. A ponta que sobre desse nó, deve ser torcida com o cabo para maior segurança. As toras ou varas são rodeadas por três voltas completas redondas entre as peças (toras) concluindo-se com a Volta do Fiel na vara oposta ao que se deu o nó de início. Observe o desenho.
. . .

Amarra Diagonal

Serve para aproximar e unir duas varas que se encontram formando um ângulo agudo. É menos usada que a Amarra Quadrada, mas é muito utilizada na construção de cavaletes de ponte, pórticos etc. Para começar usa-se a Volta da Ribeira apertando fortemente as duas peças. Em seguida dão-se três voltas redondas em torno das varas no sentido dos ângulos, arrematando-se com um anel de duas ou três voltas entre as peças e uma Volta de Fiel para encerrar.

Amarra Paralela

Serve para unir duas varas colocadas paralelamente. Pode ser usada para apoiar ou até sustentar um outro bambu.
. . . .Como o nome sugere, deste tipo de amarra provém um tripé. Este na maioria das vezes é utilizado para dar sustentação à um lampião para erguê-lo alguns centímetros acima do solo, de forma a aproveitar ao máximo sua luminosidade.

Nenhum comentário: